5 dicas sensacionais para economizar dinheiro mesmo ganhando pouco

A renda baixa é motivo de reclamação para muita gente. Muitas vezes o salário que você ganha não cobre todas as despesas principais e você acaba se descontrolando financeiramente. Como a gente tá aqui pra ajudar (e te deixar rico, claro), juntamos as melhores dicas para você conseguir economizar uma grana, mesmo ganhando pouco. As dicas são do site Dinheirama, acompanhe:

1. Controle suas contas

Que tal começar a controlar os seus gastos? Estou falando de controlar de verdade, com uma planilha (clique aqui e baixe gratuitamente) ou com um sistema financeiro como o Dinheirama Organizze (clique e conheça o melhor sistema de controle financeiro). Converso todos os dias com muitas pessoas. Quase todos afirmam que controlam as contas, mas utilizam basicamente a memória para organizar os pagamentos e o padrão de gastos da família.

Controlar os gastos não é apenas listar as despesas. É olhar e analisar as contas com carinho, fazendo do exercício um verdadeiro planejamento, que estará funcionando para evitar multas por atraso, pagamentos de juros e gastos desnecessários. Aqui a disciplina e a organização estarão ao seu lado como verdadeiras aliadas. Com um pouco de perseverança, controlar as contas se tornará um hábito saudável para toda a vida. Experimente!

2. Lembre-se que o cartão de crédito é forma de pagamento e não um tipo de gasto

Para muita gente o cartão de crédito é um dos grandes vilões do orçamento. A falta de controle e também de conhecimento, acaba por fazer com que muita gente opte por trocar a culpa de gastar sem controle, pelo discurso de vitimização em cima dos juros do cartão. É público e notório que os juros do cartão de crédito estão em seu maior patamar. O Banco Central, inclusive, prepara uma série de medidas para tentar fazer com que as pessoas deixem de utilizar o crédito rotativo da forma como funciona hoje. A ideia é limitar a utilização apenas até o vencimento da fatura subsequente. Muita coisa deve acontecer, de fato, para que os juros do cartão cheguem a percentuais praticados em outros países. Ainda assim, a informação de que os juros são altos está disponível e sinalizada nas faturas. O mal-uso ou o gasto além das possibilidades financeiras, é algo de responsabilidade do dono do cartão (e não do banco emissor). Lembre-se: o cartão é uma forma de pagamento e não uma despesa.

3. Vá ao supermercado com uma listinha

Definir as compras é importante. Sair de casa com uma lista de compras para o supermercado, funciona muito bem quando a ideia é ser objetivo e comprar de fato o que é necessário. Outra dica importante é evitar ir às compras com fome. Isso é um perigo, porque a fome pode fazer com que optemos por comprar produtos que não são necessários. Os supermercados hoje em dia também oferecem praças de alimentação. Antes de cair na tentação, observe se essas despesas pesam no seu orçamento.

4. O bom e velho cofrinho sempre funciona

Sabe aquele antigo cofrinho que você guardava moedas quando criança? Chegou a hora de resgatar o conceito de guardar sempre. A facilidade do cofrinho (e seu efeito lúdico) transforma o ato de poupar em algo prazeroso, ao vermos o cofrinho encher e ficar cada vez mais pesado. Com o passar do tempo, a ideia é ir até um banco e depositar o dinheiro do cofrinho em algum tipo de investimento. Afinal, dinheiro parado é corroído pela inflação. Ainda assim, o bom e velho cofrinho funciona, e é um ótimo instrumento para quem está disposto a economizar dinheiro mesmo gastando pouco.

5. Lazer é importante, mas cuidado para não estourar o orçamento

Divertir-se é muito bom, mas estabeleça um limite no número de saídas com os amigos e procure alternativas mais baratas, como reuniões em casa, etc

 

Fonte:  Equipe Organizze

 

Deixe seu comentário